A influência da luz na produção de óleo essencial: o caso da erva-baleeira

Você sabia que a quantidade de luz que a planta obtém do sol influencia na produção do óleo essencial? Bom, foi isso que pesquisadoras da UESC Emily Feijó, Rosilene de Oliveira e Larissa Costa constataram em seu experimento com a planta erva baleeira (Varronia curassavica).

No estudo, as pesquisadoras pegaram mudas de plantas e expuseram elas a diferentes intensidades de iluminação com a luz do sol (20%, 50%, 70% e 100%) por 90 dias. Depois desse período as folhas foram coletadas e o óleo essencial foi extraído e analisado.

Como resultado, as pesquisadoras relataram que foi encontrado uma quantidade muito maior de óleo essencial (0,6%) no tecido das plantas expostas ao tratamento com 100% de intensidade de luz, e as plantas expostas ao tratamento com 20% de intensidade luminosa ocorreu um menor rendimento (0.2%). Os componentes do óleo também variaram sendo os compostos majoritários encontrados o β-cariofileno e o óxido de cariofileno, ambos sesquiterpenos.





β-cariofileno



óxido de cariofileno


Mas qual é a importância dessa constatação? Esses resultados são importantes principalmente para trabalhos realizados com plantas utilizadas como medicinais ou para a produção de fitoterápicos. As análises dessas variações ajudam no manejo da planta visando uma maior produção do seu princípio ativo. Trabalhos como esse ajudam a definir se as plantas de erva baleeira podem ser submetidas a uma condição de maior ou menor intensidade luminosa, como aquelas em que há plantio consorciado ou em ambiente protegido.

Onde os óleos essenciais ficam armazenados nas plantas? A biossíntese, armazenamento e liberação (secreção) de substâncias voláteis ocorrem em estruturas especializadas. Dependendo do grupo botânico essas estruturas podem ser células, ductos, cavidades de diferentes tipos ou tricomas glandulares. No caso da erva baleeira, grande parte das substâncias do seu óleo essencial são secretadas nos tricomas glandulares que ficam localizados na superfície das folhas, epiderme (Figura 1).

Tricomas são estruturas da epiderme da planta que se assemelham a pelos, mas, no caso das plantas existem os tricomas glandulares que são especializados em secretar substâncias químicas, entre elas substâncias orgânicas voláteis que compõem os óleos essenciais.

No trabalho de Feijó et al. (2014), as pesquisadoras descobriram que expondo a erva baleeira a 100% de irradiação solar houve uma resposta com maior produção de tricomas glandulares na folha e consequentemente maior rendimento do óleo essencial.


Figura 1: Localização dos tricomas glandulares na erva baleeira (Varronia curassavica). A terceira imagem é uma microscopia eletrônica de varredura da superfície da folha, as bolas são tricomas glandulares e as estruturas filiformes são tricomas tectores (pelos).



* Esse texto foi produzido pelo aluno de iniciaçao científica Ygor Nunes Moreira e foi revisado pelo orientador Marco Andre A. Souza professor do Depto de Bioquímica da UFRRJ.

** Ygor N. Moreira é graduando em Ciências Biológicas pelo Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO).











Referências:

FEIJÓ, E. V. R. D. S.; DE OLIVEIRA, R. A.; COSTA, L. C. D. B. Light affects Varronia curassavica essential oil yield by increasing trichomes frequency. Revista Brasileira de Farmacognosia, v. 24, n. 5, p. 516–523, 2014.

88 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo